Meu mundo, são os olhares, que a mim se unem. Os demais, são as lágrimas que me caem... o pago, por triste meu, engano profundo. 

autor
António Almeida
Enviar um comentário