Não me julgues nas saudades e sim pelo que eu me tornei por culpa delas.

autor
António Almeida
Enviar um comentário