A distância não mata, mas tortura. Não mata o amor, tortura de saudade.


autor
António Almeida
Enviar um comentário