De loucos e moucos todos temos um pouco mas para ver tanta anormalidade prefiro ser cego.


autor
António Almeida