Bota o pobre a bem da fome não pensar, numa êstase que nem Deus tem poder nela tão forte. Com delicada paixão nos braços da Terra húmida deixar; Que pode assim deitar? - A Morte 

 autor 
 António Almeida