Nada é tão admirável em Passos Coelho como em Paulo Portas quanto as suas memórias curtas. Mas muito mais admirável é quando o povo curta não tem a memoria.


autor
António Almeida
Enviar um comentário