Talvez, este clamor, não seja mais do que um temor. Do silêncio, de um grande amor: Deixando nas nossas vidas a dor, com saudades de terror.

autor
António Almeida
Enviar um comentário