O mais desatinado do amor, é que ele é demente e ninguém não se importa de ser doido.


autor
António Almeida
Enviar um comentário