Nunca temos paciência de saber esperar, e de igual modo, nunca pensamos na paciência de quem deixamos por nós esperar.

autor
António Almeida
Enviar um comentário