Não temo a língua que me adverte com suas palavras, mas livrai-me das calunias que se escondem sob ela.

autor
António Almeida
Enviar um comentário