O amor não se esgota. Provêm de um nascente natural. Não crê? Pegue na sua sede e vá ao encontro dele.


autor
António Almeida
Enviar um comentário