Que sorte para os políticos o povo não ponderar.


autor
António Almeida