Jamais terá vida nova se continuar a reproduzir os mesmos erros.


autor
António Almeida